O Vinho Madeira

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Vinho da Madeira – (1808/1810) Considerado um dos vinhos de maior requinte nas cortes europeias, tendo chegado mesmo a ser usado como perfume para os lenços das damas da corte. Na corte inglesa este vinho rivalizava com o vinho do Porto. Shakespeare (1564/1613) referiu-se ao vinho da Madeira como essência preciosa, na sua peça "Henrique IV".

O duque de Clarence, irmão de Eduardo IV (séc. XV) deixou o seu nome ligado a este vinho quando, ao ter sido sentenciado à morte na sequência de um atentado contra o seu irmão, escolheu morrer por afogamento num tonel de Malvasia da Madeira.
Mas para além da Inglaterra, também a França, a Flandres e os Estados Unidos o importavam.
Francisco I (1708/1765), orgulhava-se de o possuir e considerava-o "o mais rico e delicioso de todos os vinhos da Europa". As famílias importantes de Boston, Charleston, Nova Iorque e Filadélfia disputavam umas às outras os melhores vinhos da Madeira.

A Madeira também conhecida entre a alta sociedade russa pelos seus vinhos. Rasputine, sacerdote ortodoxo que gozava de grande influência na corte do último czar russo, Nicolau II, era grande apreciador do vinho da Madeira. Esta bebida foi utilizada para envenená-lo, segundo os historiadores.

Fonte: Instituto da Vinha e do Vinho
http://www.ivv.min-agricultura.pt/np4/91.html

Vinho da Madeira – (1808/1810) Considerado um dos vinhos de maior requinte nas cortes europeias, tendo chegado mesmo a ser usado como perfume para os lenços das damas da corte. Na corte inglesa este vinho rivalizava com o vinho do Porto. Shakespeare (1564/1613) referiu-se ao vinho da Madeira como essência preciosa, na sua peça "Henrique IV".

O duque de Clarence, irmão de Eduardo IV (séc. XV) deixou o seu nome ligado a este vinho quando, ao ter sido sentenciado à morte na sequência de um atentado contra o seu irmão, escolheu morrer por afogamento num tonel de Malvasia da Madeira.
Mas para além da Inglaterra, também a França, a Flandres e os Estados Unidos o importavam.
Francisco I (1708/1765), orgulhava-se de o possuir e considerava-o "o mais rico e delicioso de todos os vinhos da Europa". As famílias importantes de Boston, Charleston, Nova Iorque e Filadélfia disputavam umas às outras os melhores vinhos da Madeira.

A Madeira também conhecida entre a alta sociedade russa pelos seus vinhos. Rasputine, sacerdote ortodoxo que gozava de grande influência na corte do último czar russo, Nicolau II, era grande apreciador do vinho da Madeira. Esta bebida foi utilizada para envenená-lo, segundo os historiadores.


Fonte: Instituto da Vinha e do Vinho
http://www.ivv.min-agricultura.pt/np4/91.html


Joomlart